04/09/2009 - 01h09
População de Gaza já sofre com falta de água e saneamento, diz ONU

Por Daniela Kresch, de Tel Aviv para a Rádio ONU em Nova York

O coordenador para Assistência Humanitária da ONU nos territórios palestinos, Maxwell Gaylard, apelou nesta quinta-feira a Israel que suspenda a restrição de entrada, na Faixa de Gaza, de material fundamental para a restauração dos serviços de água e esgoto do território.

O pedido de Gaylard foi feito juntamente com a ONG Associação das Agências Internacionais de Desenvolvimento. "De acordo com Maxwell Gaylard, cerca de 10 mil moradores de Gaza encontram-se, no momento, sem nenhum acesso à água encanada e 60% dos 1,5 milhão de habitantes da região têm apenas acesso esporádico.

Ainda segundo o coordenador para Assistência Humanitária da ONU, a deterioração do sistema de saneamento básico é tamanha que, diariamente, de 50 a 80 milhões de litros de esgoto sem tratamento adequado são despejados no Mar Mediterrâneo.

Israel determinou o fechamento quase total das fronteiras com a Faixa de Gaza há pouco mais de dois anos, logo depois que o grupo islâmico Hamas - que não reconhece o país - tomou o controle do território.

Desde então, poucos equipamentos e materiais de construção e manutenção puderam ser importados pelas autoridades locais. A situação piorou depois do conflito entre Israel e o Hamas, em janeiro deste ano, que destruiu parte de Gaza".

Para Maxwell Gaylard, no cerne da crise atual está um "declínio agudo no padrão de vida da população de Gaza", caracterizado, entre outros pontos, pela destruição e degradação da infraestrutura básica do território.


(Envolverde/ )