13:28 24/03

Juiz veta acordo de venda de água mineral para a Nestlé


SACRAMENTO, Califórnia (AP) Um juiz descartou um acordo que estabelecia a venda, por uma cidade americana, de quase 2 bilhões de litros de água mineral por ano para a companhia Nestlé, determinando que deveriam ter sido realizados estudos de impacto ambiental.
 
O julgamento ocorrido nesta semana acaba definitivamente com os planos da cidade de McCloud, de vender água para a multinacional suíça, que faria um investimento de US$120 milhões em uma unidade de engarrafamento de água na base do Monte Shasta, que revitalizaria a região.

O acordo teria dado à Nestlé, a maior fabricante de alimentos e bebidas do planeta, mais de 1.97 bilhões de litros de água pela bagatela de US$300 mil por ano. Válido inicialmente por 50 anos, o contrato poderia ser estendido por mais 50 anos e as autoridades da cidade não teriam controle total do processo.

Um grupo, denominado Cidadãos Ativos de McCloud, processou o Distrito de Serviços à Comunidade da cidade para evitar que o contrato fosse assinado, após obter mais informações sobre os termos. O juiz do condado de Siskiyou, Roger Kosel, estabeleceu na segunda-feira que o distrito foi imprudente ao não se preocupar com o impacto ambiental do acordo antes de assiná-lo.  

"Eu acho que vocês não podem disfarçar e fixar um acordo sem informar o público e sem fazer as análises de impacto ambiental necessárias, declarou o advogado Don Mooney, que representa o grupo de cidadãos.

Um porta-voz disse que o distrito não vai comentar a decisão. A Nestlé declarou que vai agilizar as análises de impacto ambiental do projeto.

Mooney disse que o distrito e a empresa poderão estabelecer um novo acordo, assim que as análises forem concluídas.

A Nestlé propôs a extração da água mineral que brota das fontes do Monte Shasta e o engarrafamento (sob o rótulo Arrowhead) uma fábrica que seria construída no terreno onde ficava, anteriormente, o moinho da cidade.  

Os que criticam a venda da água declararam que se sentiram deixados de fora quando leram os termos do acordo, apesar dos oficiais públicos alegarem que divulgaram o processo e seguiram todas as regras.

"Há muitas, muitas pessoas em McCloud que, a partir de agora, vão ficar de olho nessa fonte preciosa, afirmou Diane Lowe, uma das integrantes do grupo de cidadãos. "Temos uma grande batalha para vencer, mas já vencemos um pequeno obstáculo.

O acordo dividiu a cidade, de 1.300 habitantes, que já foi uma cidade comercial. Os apoiadores defendem que o acordo resolveria a falta de empregos e melhoraria e economia, que continua instável desde os anos 60. Eles vêem a Nestle Waters North America, divisão da Nestlé e a maior responsável pelo engarrafamento de água no país, como uma salvação. A empresa esperava abrir a fábrica já no próximo ano, e que empregasse 240 pessoas.

Os críticos questionam se a permissão para que a Nestlé perfurasse os poços poderia secar totalmente os aquíferos, ou se a vida selvagem no local seria ameaçada. O McCloud River é um local de pesca muito popular nos Estados Unidos.  

Na Net:

http://mccloudarrow headproject. org